12 de mai de 2008

dagofest

No meio da treta na Poplist por causa da coluna do Thiago Ney, soltaram que não tinha mais de 30 bandas boas ao vivo no Brasil. E teve gente concordando. Sem pensar muito soltei uma lista gigante de bandas que poderiam ser escaladas pra um Dagofest e não fariam vergonha nenhuma:

- supercordas
- elma
- curumin
- stephanie toth
- macaco bong
- superguidis
- contra fluxo
- guizado
- hurtmold
- twelves
- gui boratto
- apanhador só
- lavoura
- josé makes machine
- radiola santa rosa
- constantina
- banalizando
- are you god?
- slim rimografia
- parteum / mzuri sana
- móveis coloniais de acaju
- lulina
- garotas suecas
- telepatas
- canastra
- autoramas
- turbo trio
- mr. hendrik & the flamboyants
- toró
- zeroum
- jumbo elektro
- cérebro eletrônico
- rômulo fróes
- mamelo sound system
- lucas santtana
- do amor
- deize tigrona
- sany pitbull
- tony da gatorra
- lavajato
- comma
- the name
- mezatrio
- mqn
- debate
- tony da gatorra 3G
- grenade
- bad folks
- wado
- fóssil
- chambaril
- orquestra contemporânea de olinda
- colorir
- wandula
- índios eletrônicos
- m.takara
- holger
- casa flutuante
- cidadão instigado
- artificial
- nancy
- caio marques
- eddie
- bois de gerião
- zefirina bomba
- pelvs
- nervoso
- totonho e os cabra
- rua de baixo
- vamoz
- z'africa brasil
- mombojó
- bonsucesso samba clube
- siba e a fuloresta
- haxixins

E olha que nem do Walverdes eu lembrei. Neguinho precisa ver mais show.

14 comentários:

Gilberto disse...

Atualmente minhas prediletas são Firefriend, Fotograma e Haxixins.

Bruno Nogueira disse...

Dessas bandas que você listou e que eu já assisti mais de um show, essas são as que eu considero bem ruins e não entrariam na minha lista de forma alguma (mesmo com algumas delas tendo ótimos discos, caso do Chambaril):

- supercordas
- elma
- lulina
- lucas santtana
- tony da gatorra
- chambaril
- eddie
- totonho e os cabra
- mombojó
- bonsucesso samba clube

Tem um monte de autismo ai também, né? O que se justifica pq é um evento com seu nome. Do tipo bandas-que-só-gostam-quem-vai-para-onde-eu-vou, que vai contra o conceito de um festival.

Dago Donato disse...

nah, bruno. função de festival não é só juntar banda "que todo mundo gosta". é também abrir os olhos pra manifestações fora do padrão, que podem até soar esquisitas pra uns, mas que podem iluminar caminhos pra outros. autismo é a ditadura do pop redondinho. já vi ótimos shows de todos estes que você citou como ruins. mas aí é coisa de filtro, de referência, de gosto. caímos no subjetivo.

voltando no exemplo mais citado lá na lista: vai dar uma olhada no line-up do sxsw que você vai ver artistas que você provavelmente consideraria bem ruins rolando forte, com público, e com grandes shows. a lista é grande, mas só pra citar das coisas que eu vi e que, provavelmente, você torceria o nariz: jandek, debate, sunburned hand of the man, no age, why?, chikita violenta, the blow, atlas sound...

Dago Donato disse...

ah! e vai dizer que elma não agradou geral lá no coquetel?

Flávia Durante disse...

pena q os festivais não tragam nem 10% desses nomes. é sempre forgotten boys, vanguart, daniel belleza etc (nada contra, mas já deu).

festival não deveria ser caridade nem "espaço pra bandas", isso é papel pra bares e casas noturnas, mas sim um panorama do q tá rolando por aí.

Pamela Leme disse...

fera!

incluiria ainda o numismata.

Bruno disse...

o valv e o multisofá estão parados, mas ambas sempre me divertiram muito ao vivo - e sem bairrismo. faltou a pelvs tb, fácil.

achei legal a lembrança do vamoz. ninguém fala nos caras, mas eles mandam bem pra cacete.

Dago Donato disse...

pelvs tá lá, bruno, vc que não viu

Bruno disse...

fato, cagada minha.

Morena... disse...

Já tem bastante tempo que não vejo shows com algumas das bandas que você listou como Constantina, Radiola Santa Rosa e Supercordas, então não vou entrar no mérito das bandas serem ou não boas. Principalmente, porque isso é juízo de gosto.
Tem muita banda boa no Brasil, só que boa parte delas tem um cd maravilhoso, com milhares de efeitos, correções e adicionais. E quando chega no palco, se elas não fazem feio, fazem menos do que se esperava e então, começam as críticas. Isso aconteceu quando ouvi Pelvs a primeira vez, a séculos atrás. Hoje, depois e mais 2 ou 3 shows, já tenho uma nova visão da banda e gosto muito dela ao vivo.
Achei meio bobeira discutir a coluna do Thiago daquele jeito, mas não me senti muito à vontade pra falar. Jornalismo cultural, musical ou afins, são fundamentados em juízo de gosto (com exceções). nocaso do Thiago foi infelicidade tanto de escolha de palavras como de argumentos, depois.

Mas, mudando de assunto, iria na boa, ao Dagofest... mas ia aproveitar o horário dos shows do Tony da Gatorra e de uns outros aí, pra bater papo.. rs

Scott Walker disse...

2 x 0

nah, bruno. função de festival não é só juntar banda "que todo mundo gosta". é também abrir os olhos pra manifestações fora do padrão, que podem até soar esquisitas pra uns, mas que podem iluminar caminhos pra outros. autismo é a ditadura do pop redondinho. já vi ótimos shows de todos estes que você citou como ruins. mas aí é coisa de filtro, de referência, de gosto. caímos no subjetivo.

gr disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Djalma Neto disse...

Falando em instrumental, tem mais duas bandas que - ao menos pelo que senti do critério "qualidade" do autor - poderiam estar na lista:

Mamma Cadela e Malditas Ovelhas!

Djalma Neto disse...

Falando em instrumental, tem mais duas bandas que - ao menos pelo que senti do critério "qualidade" do autor - poderiam estar na lista:

Mamma Cadela e Malditas Ovelhas!