14 de dez de 2009

e lá vamos nós

Os 00 foram a década do nada pros preguiçosos. Pros mal informados. Pros velhos. Pra imprensa musical brasileira. Sempre burra, sempre dependente, sempre viciada. Deve ter sido realmente uma década difícil pra quem sempre se pautou por 1. os discos que as majors enviavam semanalmente 2. duas ou três publicações gringas. A única coisa que o Álvaro Pereira Junior acertou na coluna dele dessa semana foi em dizer que esta foi a década da pulverização. Por isso mesmo ficou mais difícil - e também mais fácil - mapear o que foi feito de boa música. Se, por um lado, acabaram as unanimidades, por outro, nunca se fez música de qualidade em tanta quantidade e nunca o acesso a esta produção foi tão fácil. Sobre isso, vale ler este texto do Simon Reynolds. Mas é difícil esperar muito de um cara que descobriu o Telepathe um mês depois da banda passar por debaixo do nariz dele na capital paulista. Falar que não houve inovação em uma década que começou com os Avalanches ensinando que se podia fazer uma obra prima com retalhos na base do cut and paste, viu o hip hop expandir seus limites de forma espantosa, passou pela demolição da figura do ídolo em cima do palco nas marretadas do Lightning Bolt e na catarse coletiva promovida pelo Dan Deacon, dançou com batidas eletrônicas elaboradas nas mais distantes periferias do mundo, e, pelas mãos de gente como Animal Collective e Dirty Projectors encontrou novas maneiras de se fazer música pop é, no mínimo, um desserviço ao jovem leitor do Folhateen. Mas, fazer o que, se as revistas que ele lê só falaram dos Strokes, Libertines, hippies e sambistas indie? Nos 00 olharam pro passado os saudosos do passado. Como o próprio Álvaro.

9 comentários:

ricd disse...

mas ainda falta um ano para o final dos 00, não?

Dago Donato disse...

nao, a década começou em 2000

Fábio Bianchini disse...

Não confundam. Tem os anos 00, que acabam agora, e a década 00, que começou em 2001. Essa só termina no fim de 2010.

ricd disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ricd disse...

ponto pro fábio.

dafne sampaio disse...

boa dago, concordo em gênero, número e degrau. eu ouvi muita, mas muita coisa boa nos anos 00. como em poucas décadas.

alemão uc disse...

faço das suas palavras as minhas. pensei a mesma coisa quando li a coluna dele ontem.

retrigger disse...

Deixem os velhos se debaterem por aí no seu tédio...

Mas é certo que o mainstream dos 00 foi triste demais!

Flávia Durante disse...

você lê pra passar raiva? não é possível! olha a gastrite!!!