8 de out de 2008

ainda em nova york

oxford collapse
Vamos ver se eu me lembro. Antes do Oxford Collapse tocou o Takka Takka, que foi muito fraquinho. Rock de universitário com tudo o que isso pode carregar de ruim. Som cabecinha, mas completamente vazio, e um vocalista cheio de sentimento. Pensei no show do Final Fantasy, que tinha visto no fim de semana anterior, em que um cara só encheu de som um teatro gigante. Aqui eram seis que não conseguiram dar vida a um boteco pra 100 pessoas. Mas depois veio o Oxford Collapse e salvou a noite em grande estilo. Disse por aí que foi um massacre. Foi, mas não tão violento quanto outros massacres que vi depois em Montreal. De qualquer forma, o trio faz um showzão. As linhas de baixo são sempre inusitadas, tortas em relação à guitarra. Baixista e guitarrista dividem os vocais, mas a grande atração é o baterista. O cara é muito rápido, toca muito pesado e muito torto. Era o último show da tour. O guitarrista cantou a última música em cima de uma cadeira. Não teve bis, pois a cadeira e a bateria terminaram destruídos.

Nenhum comentário: